15.1.10

Cinco músicas para ouvir durante o sexo - especial vozes femininas



Por conta do estrondoso sucesso da última postagem desse tipo, resolvi separar mais cinco mimos para os leitores interessados em variar o cardápio (musical) naqueles momentos de Let's Get it On! A ideia para este post aqui surgiu um pouco antes de eu me ligar que na outra coletânea de sacanagens sonoras predominavam os vocais masculinos. Duplo bingo! Posso homenagear essas belas vozes femininas (como já fiz uma outra vez) e ainda corrigir a misoginia acidental de antes.

Prepare-se. Apague as luzes. Acenda as velas. Pegue um óleo de massagem. E, sempre, sempre, sempre, use camisinha.

5-) "Baby, baby, baby" - Aretha Franklin



Nos anos 1960, Aretha Franklin podia ser considerada uma das maiores representantes das mulheres na música (e o é até hoje, na verdade). E produziu essa que é uma das melhores músicas para preliminares da história. Interessante notar a oposição desta canção, mais romântica na letra (do naipe, "I didn't mean to hurt you / I'd rather hurt myself / I need you") e suave (no som), ao petardo dançante e auto-afirmativo de seu maior hit, "Respect". Se neste, ela esbraveja que quer "um pouco de respeito" (do marido, ou o que quer que seja) quando chega em casa, naquele, bem, vocês viram a letra... Retratos de uma década de revoluções (sexuais, musicais e etc.). Ambas estão originalmente registradas no disco "I Never Loved a Man the Way I Love You", de 1967.


4-) "Stronger Than Me" - Amy Winehouse




Essa DR em forma de música abre o primeiro disco da (até então) bem fornida e saudável Amy Winehouse. Como o título sugere, seja mais forte, e esqueça do que se trata a canção (até porque nada mais "corta clima" que uma discussão desse tipo). Concentre-se no groove interessantíssimo composto pelos instrumentos, incluindo aí a guitarra, tocada pela própria Winehouse (como é possível comprovar nessa versão ao vivo da época do lançamento de "Frank", onde também se nota que, além de curvas, ela ainda tinha todos os dentes).


3-) "My Insect Life" - Kaki King



Bem, Kaki King é uma violonista/guitarrista virtuose americana. Pouco conhecida por aqui, a garota, além de bonitinha (veja aqui), é lésbica assumida (não que isso tenha a menor importância). Ao contrário de boa parte de seu repertório - geralmente só instrumental - em "My Insect Life" a garota usa também a voz para compor um clima bem etéreo, que pode funcionar muito bem a dois (para três ou mais, recomendo essa aqui, também dela). Difícil saber o que ela está dizendo, já que ela mais sussurra que qualquer outra coisa, e não consegui encontrar a letra (se é que existe uma) em lugar nenhum. Pelo título dá pra arriscar que não é uma história de amor. Mas, quem sabe? Do disco "Legs to Make Us Longer", de 2004.


2-) "I'm Gonna Tear Your Playhouse Down" - Ann Peebles



Apesar de ser também uma bronca em um cara - evidentemente galinha (
"You think you’ve got it all set up / You think you’ve got the perfect plan / To charm every girl you see") e que está prestes a ser pego em flagrante delito ("One of these days when you’re at play/ I’m gonna catch you off guard") -, aqui, como com a Amy Winehouse, convém levar na brincadeira e aproveitar o groove. Mesmo porque espero que ninguém fique realmente prestando atenção às letras. Do disco "I Can't Stand the Rain", de 1974. Tem também uma versão do Paul Young. Mas não ouse colocá-la pra tocar entre quatro paredes (e nem fora delas, na verdade). Se quiser variar, fique com Peebles ao vivo!


1-) "The Hunter Gets Captured by the Game" - The Marvelettes



A história de uma garota (the hunter) que, ao tentar seduzir um rapaz, acaba se apaixonando por ele (gets captured by the game). Junto com a canção de Aretha Franklin, a única música realmente romântica dessa lista. Além dessa ser genuinamente uma fuck song, eu precisava fazer justiça com as Marvelettes por ter esquecido delas quando fiz o top dos melhores grupos femininos (veja aqui). A faixa está no ótimo "The Marvelettes", de 1967 (o ano mais fértil da música?), que também traz a interpretação delas para "Please Mr. Postman". Muita gente arriscou suas próprias versões de "The Hunter...", incluindo Elvis Costello, que fez uma das minhas preferidas. Vi por aí que até o Massive Attack mandou um cover, que foi parar na trilha sonora de Batman Forever, mas não consegui achar em vídeo. Deve ser interessante! Anyway, prefira a original!


Menção Honrosa - "Glory Box" - Portishead



Não deu pra evitar. Essa todo mundo conhece (por isso deixei de fora do ranking), mas não resisti à menção. O som é de 1994, então deve ter um bando de adolescentes por aí que foram concebidos no balanço desse trip-hop...

*Gostou da lista? Mande nos comentários as suas preferidas! Pode ser útil mais tarde...

4 comentários:

amigadowoody disse...

Minha sugestão: Summertime. E o bom que é existem várias interpretações femininas maravilhosas para escolher.

Bruno Guerra disse...

Bem lembrado! Mas, creio que quis dizer a da Janis, não? Outra boa dela é "Kosmic Blues". Testada e aprovada a long, long time ago!

leticia disse...

acho que valia uma brasileirinha, uma batidinha afro-latina-tupiniquim, aí na sua lista... mas lista é lista, quase sempre pessoal e intransferível. beijos.

Bruno Guerra disse...

Música brasileira nunca foi o meu forte, Letícia! Mas taí uma boa ideia! Quem sabe a próxima eu não faço seguindo esse critério? Aliás, alguma sugestão?