30.8.09

Los hermanos brasileños

Postado originalmente no blog Som, teste, som


Brothers of Brazil: os irmãos Supla e João clicados por Mateus Mondini

Às vezes um artista nos surpreende de forma positiva na hora em que menos esperamos. Dessa vez, o culpado é o "Papito" a.k.a. Supla, que fez fama no Brasil nos anos 1980 por ser uma espécie de Billy Idol tupiniquim. O roqueiro, filho de Marta e Eduardo Suplicy, ainda acumulou algumas aparições no cinema, em um reality show e nas paradas de sucesso recentes, principalmente por conta do hit ressucitado "Green Hair" (mais conhecido como "Japa Girl"). No entanto, nos últimos anos o músico andava meio sumido do radar algo obtuso da "grande mídia". Até que, em 2007, juntou-se ao irmão João Suplicy - músico de discografia consistente na seara da MPB - para um show meio improvisado em Londres. Supla, que sempre foi frontman, um entertainer, como ele gosta de dizer, sentou na bateria, sem abandonar os vocais, e João ficou com o violão e voz. A mistura, um combinado inusitado de punk rock e samba/bossa, acabou batizada de Brothers of Brazil por Bernard Rhodes, ex-empresário do Clash, e virou coisa séria.

Os irmãos acabaram ganhando um programa de televisão - "Brothers", na RedeTV - no qual além de apresentar quadros amalucados como o Brothers Ride - em que levam uma "gostosa" pra uma espécie de concurso de xavecos com os transeuntes - eles podem tocar as suas próprias músicas. Entre os compromissos com o programa, as composições foram se empilhando até chegar às 16 faixas do disco "PunkaNova", lançado em agosto de 2009 em uma edição revista-pôster, vendido em bancas de jornal por simpáticos R$ 12,99. E vale cada centavo.


A foto da capa de "PunkaNova" (por Mateus Mondini): CD nas bancas por R$ 12,99

Ao longo dos pouco mais de 40 minutos do álbum, Supla e João mostram um entrosamento meio simbiótico, representado pelas vozes de timbres muito parecidos, sempre harmonizadas em arranjos inteligentes e sofisticados. A bateria de suingue muito particular de Supla dita o ritmo, enquanto João preenche os espaços com as harmonias suaves de seu violão. O clima parece o de uma cocktail party onde os drinks foram "batizados" com algo mais forte que o normal. As letras - em inglês, na maioria das vezes - versam basicamente sobre as aventuras e desventuras da dupla em shows pelo mundo - "I Love the French" é uma deliciosa piada sobre o atendimento blasé em Paris - e as vicissitudes da fama, como em "Paparazzi", inspirada em uma passagem pelo circo midiático montado em torno da casa de Amy Winehouse, e na empolgante "Impostor", mensagem a um comediante que criou um personagem baseado em imitações do Supla.

É possível ouvir algumas das músicas do duo no MySpace da banda. Lá também dá pra conferir a agenda deles e acompanhar as últimas peripécias da banda pelo blog. Experimentar "PunkaNova" na íntegra, no entanto, é mais que recomendável.

C'mon, kids!

5 comentários:

Lara disse...

Eu fui ao show! Há! Os brothers (assim como o resto da família) estão cada vez mais gagás e, por isso, ainda melhores...

Aproveitando: o texto anterior tb está ótemo!


Bjs, Brunildo!

Samuel disse...

Muito legal o Cotidiano gonzo meu querido... devia ter me apresentado antes. Aliás, acho que já faz tempo prezado amigo, quando vier para o pacato interior, espero um contato de v. senhoria.
Abraço amigo.

Desirèe Luíse disse...

não curto o supla não, mas com o texto até que me deu vontade de ouvir! HAHAHA... bjos

Bruno Guerra disse...

Dê, o Papito se renovou! EXPERIMENTE!

Samóka, meu caro amigo! Que bom que apareceu por aqui! Quando estiver por aí eu dou um toque com certeza!

Lara, bacana que foi ao show! Foi no Ao Vivo Music? São bons ao vivo também?

Bruno Guerra disse...

Link para a entrevista que fiz com os Brothers para a revista Jungle Drums, de Londres, tempos atrás: http://www.jungledrumsonline.com/emails/jd72/

Tá na página 19!